Governador lança “Integra São Paulo”, um projeto para o produtor rural!

Com a presença de mais de 400 pessoas no Integra São Paulo, cerca de 40 prefeitos da região e deputados federais e estaduais, o governador do esimagemtado de São Paulo, Geraldo Alckmin e a secretária de Agricultura e Abastecimento, Mônika Bergamaschi, lançaram no dia 1º de março, em Dracena, um projeto que agrega lavoura, pecuária e floresta. É o Integra São Paulo que tem por objetivo promover maior produtividade, emprego e renda no campo, com sustentabilidade.

Para Luiz Alberto Pelozo, diretor da CATI Regional de Dracena, esse programa (Integra São Paulo) vem de encontro às necessidades da região, que passou por um grande processo de degradação. Além disso, dá continuidade ao Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, que deu inicio à recuperação dessas áreas com tecnologias, buscando a sustentabilidade do agronegócio paulista.

O Projeto Integra São Paulo será executado pela CATI. Segundo o coordenador da instituição, José Carlos Rossetti, o corpo técnico das Casas da Agricultura, em conjunto com os produtores rurais, irá elaborar o plano de trabalho mais adequado a cada propriedade. O objetivo desses planos individuais é atender a demanda de cada agricultor para que ele possa desenvolver sua atividade com diversificação na renda e sustentabilidade ambiental.

Segundo levantamentos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, o estado de São Paulo possui uma área agricultável de 21,5 milhões de hectares, sendo que 40% são pastagens. A estimativa é de que cerca de 60% dessas áreas estão com certo grau de degradação.

Foi com o objetivo de recuperar essas áreas através de sistemas integrados de produção que levou à elaboração do Projeto Integra São Paulo, afirma a secretária de agricultura, Mônika Bergamaschi. Ela destaca que há saídas para recuperar os sistemas produtivos e melhorar a gestão dessas propriedades. “Além disso, esse projeto vem de encontro ao Programa Estadual de Mudanças Climáticas, onde São Paulo assumiu o compromisso, na Rio+20, de recuperar, ao menos, 20% das áreas degradadas até 2020. Nossa expectativa é que 800 voçorocas sejam controladas em até cinco anos e 312 mil hectares de pastagens sejam recuperados em oito anos”, finaliza.

Na oportunidade, Geraldo Alckimin assinou decreto que viabiliza a implantação do Projeto Integra São Paulo e cria duas linhas de crédito específicas para a atividade, que serão disponibilizadas através do FEAP – Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista.

Uma delas é a de Subvenção para Recuperação de Áreas Degradadas por Grandes Erosões, que pode ser utilizada em ações de correção do solo e controle de voçorocas. Serão concedidos R$ 10 mil por beneficiário.

A outra linha, denominada Integra SP – lavoura – pecuária – floresta financiará desde o processo de adubação e cobertura do solo até a implantação de sistemas integrados de produção. O limite é de R$ 100 mil, com juros de 3% ao ano e prazo de oito anos para pagar. Se o projeto incluir o cultivo de floresta, o prazo será de doze anos para o pagamento.

Para Alckmin o Integra São Paulo é um projeto de economia verde, aumenta a produtividade e melhora a qualidade de vida no campo. É uma bandeira do Estado para os produtores de São Paulo. “Hoje não é necessário grande quantidade de terra para a produção, já que o Brasil é o maior exportador mundial de produtos agrícolas. O que precisamos é melhorar a qualidade, nesse caso das pastagens, para garantia de emprego e renda no campo”.

Veja mais no vídeo abaixo.

 

Fontes: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=N6ATR8XA0Uw#! http://www.portaldoagronegocio.com.br/conteudo.php?id=89561

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


+ oito = 12